Guia prático para quem busca uma nova oportunidade

Buscando uma nova oportunidade no mercado? Nem sempre espalhar seu currículo por aí aumenta sua chances de conseguir aquela vaga. Saiba o que fazer, e o que não fazer, para ser notado pelas empresas e recrutadores.

1.      Tenha foco! Escolha a quais vagas se candidatar

Em geral, temos a crença de que para quanto mais vagas nos candidatarmos, maiores as chances de conseguirmos um emprego. Cuidado com essa armadilha, o desespero não leva a bons lugares! Mesmo que você precise muito de um emprego, respire fundo e use da estratégia!

Identifique as vagas em que você vai lidar com temas e realizar as atividades que te envolvem, ou que te colocarão no caminho destas atividades. Busque entender quais são a cultura e os valores da empresa. Pesquisar o site é um bom começo, mas vá além: pesquise notícias a respeito da empresa, veja como ela se comunica nas redes sociais e converse com pessoas que trabalham ou já trabalharam lá. Tente captar a cultura e os valore reais dela, pois isso pode influenciar mais o trabalho do que o cargo em si. Duvida? Imagine um analista financeiro que trabalha no Google e outro que trabalha em uma empresa pública. Será que a rotina deles é igual? Com qual cultura você mais se identifica?

2.      Facilite que o recrutador te encontre

Evidencie seus contatos no seu currículo, deixando mais de um telefone, e não se esqueça do e-mail. Se você se candidatou a alguma vaga, evite deixar o telefone do silencioso, retorne as ligações perdidas e verifique sempre a sua caixa de spam. Se você deixou um telefone de recados, avise ao seu amigo que ele pode receber uma ligação de uma determinada empresa. Se você se candidatou através de um site, verifique pelo menos duas vezes por semana se há alguma atualização. Mantenha seu LinkedIn atualizado. Se você não tem um perfil nesta rede, é hora de criar. Veja aqui algumas dicas para dar um trato na sua página do LinkedIn.

3.      Acione sua rede para identificar mais vagas

A sua rede de contatos é um recurso valiosíssimo na busca por um trabalho. Deixe seus amigos mais próximos cientes de que você está buscando novos desafios, eles podem te ajudar a se conectar com oportunidades interessantes. As empresas costumam ver com bons olhos pessoas indicadas por seus colaboradores. Como eles já conhecem a empresa por dentro, sua recomendação costuma ser um pouco mais assertiva. Caso esteja trabalhando, fique atento para não deixar esta informação chegar por engano ao seu empregador atual.

4.      Adapte seu currículo a cada vaga e empresa

Você pode ter um currículo base, completíssimo, mas deve revisar e ajustar o currículo para cada vaga. Cada posição de trabalho e empresa pode exigir formações, experiências e competências diferentes. Cada organização também terá um estilo, cultura e valores diferentes. Se você estudou a vaga e a empresa com a vaga com atenção, você perceberá o que ela mais valoriza e poderá dar ênfase nas suas experiências e formações relacionadas a isso. Adaptar seu currículo é especialmente importante se você estiver se candidatando a duas vagas diferentes.

5.      Cuidados nos compromissos com a empresa e o recrutador

  • Programe-se para chegar com certa antecedência ao seu compromisso, especialmente se você não conhecer o caminho. Lembre-se, reserve um tempo extra para imprevistos. Chegar com 10 a 15 minutos de antecedência é uma boa;
  • Você está sendo observado durante todos os momentos que estiver na empresa. Por isso, seja educado com as pessoas com as quais interagir dentro da empresa. Se você arranjar problemas, o recrutador ficará sabendo;
  • Mantenha o seu foco 100% na atividade, seja ela uma entrevista ou dinâmica de grupo. Nada de ficar olhando no celular, no relógio, atender ligações ou responder mensagens. Se você está esperando algum contato urgente, ou precisar acompanhar alguma emergência, avise o seu recrutador.

6.      Cuidados ao procurar um novo trabalho enquanto estiver empregado

  • Se o seu relacionamento com o empregador atual for bom e você sentir segurança, compartilhe com ele seu projeto de transição profissional. Isso pode ser útil na sua busca e pode ajuda-lo a se preparar para sua saída;
  • Use seu e-mail pessoal, e não o e-mail de trabalho;
  • Envie seus currículos fora do horário do expediente;
  • Marque entrevistas de trabalho fora do horário do expediente. Se não for possível, dê preferência a um horário que impacte o menos possível o seu trabalho, como o horário de almoço ou o início da manhã. Você não precisa explicar o motivo, mas o ideal é não mentir;
  • Se for perguntado sobre se está trabalhando, não minta. Se você for selecionado, você terá que combinar esta transição e a mentira será revelada;
  • Se for aprovado, faça a transição com profissionalismo. Combine com o novo e o antigo empregador um prazo razoável. Ajude o seu empregador antigo, dentro do possível, a conseguir um substituto de qualidade, e não deixe sujeira embaixo do tapete ou trabalhos pela metade. Isso demonstra que você é responsável e confiável, e mantém suas portas abertas na empresa anterior.

7.      Prepare-se para as principais perguntas que podem ser feitas a você

Até conseguir o seu tão almejado novo trabalho, esteja certo que você será bombardeado com perguntas, muitas delas não muito fáceis. Prepare-se de antemão para responde-las com segurança e sinceridade. Preparamos um guia para você com as principais perguntas. Confira!

8.      Prepare-se para falar sobre sua pretensão salarial

  • Traga o assunto somente quando for perguntado;
  • Conheça a média salarial para o seu cargo, nível de experiência e porte da empresa. O site do Sine oferece uma pesquisa de salários por cargo e região. Você também pode verificar com pessoas próximas da mesma função quanto elas acham que você poderia pedir;
  • Avalie o custo de vida para a região da vaga, em especial se a vaga for para outra cidade;
  • Avalie sua situação atual e ajuste o valor da sua pretensão:
    • Se você está satisfeito no trabalho atual, pode pedir um valor acima da média do mercado (na faixa de 10 a 20% maior), para compensar a mudança.
    • Se você não está muito satisfeito, ou está desempregado, um valor próximo do valor de mercado é indicado.
  • Informe sua pretensão em um valor que te permita negociá-la, ou seja, pelo menos um pouco acima do seu mínimo. Para demonstrar que você tem flexibilidade, você pode falar que sua pretensão é “na faixa de” e falar o valor em seguida;
  • Identifique qual é o mínimo necessário para você, tanto para o seu padrão de vida quanto para a sua motivação. Não aceite nada abaixo deste mínimo para não entrar numa fria;
  • Considere, se tiver esta informação, os benefícios oferecidos pelo empregador;
  • Avalie as oportunidades de crescimento e desenvolvimento que a empresa oferece. Pode ser melhor receber um salário um pouco abaixo da média em um lugar em que você possa crescer, do que um salário acima da média em uma empresa que não vai te estimular.

9.      Negocie o salário com segurança

Ao se posicionar a respeito do salário, seja firme na sua comunicação. Não demonstre insegurança a respeito do valor que pedir nem seja um exigente soberbo. Para estar seguro, você precisa ter feito seu “dever de casa”, e pesquisado o mercado, a empresa e a vaga. Veja a questão anterior para mais informações. Se o valor oferecido não te atender, faça uma contraproposta, argumentando com base nas suas qualificações e experiência por que você é um bom investimento para a empresa. Caso seu trabalho envolva uma mudança de cidade, é importante se informar e, se for possível, negociar sobre como pode ser feita essa mudança.