Construindo Objetivos Poderosos: a abordagem HARD

“O que você alcança ao atingir seus objetivos não é tão importante quanto o que você se torna ao atingir seus objetivos.”

Zig Ziglar, inspirador estadunidense

Metas estão amplamente presentes nas nossas vidas. Por exemplo, podemos buscar alcançar uma nota alta numa disciplina, finalizar um projeto no prazo ou ser efetivado após o estágio. Na vida pessoal, sempre queremos perder alguns quilos, engrenar uma rotina de exercícios ou fazer uma viagem especial.

Muito se fala sobre a importância de estabelecer objetivos claros. Eles estimulam a ação ao oferecer um ponto de foco e ajudam a distinguir o que é realmente importante daquilo que não é prioridade. Com o progresso, nosso cérebro a gera dopamina, substância relacionada ao prazer, que ajuda a manter o movimento e o esforço, diminuindo a procrastinação. Além do mais, quando nos desafiamos, temos a oportunidade de trabalhar nossas competências e aproximá-las da excelência.

Ainda assim, nosso comprometimento com metas não é lá grandes coisas. Talvez você já tenha percebido isso em si mesmo ou nas pessoas ao seu redor (alguém pensou nas metas de ano novo aí?). Um estudo feito pela empresa Leadership IQ com mais de quatro mil profissionais indicou que apenas 15% ou menos deles deles acreditam que suas metas para o ano atual as apoiariam a alcançar grandes realizações e/ou a maximizar seu potencial.

Uma Visão HARD

O que faz nosso envolvimento com nossos objetivos estar em níveis tão baixos? Mark Murphy, especialista em motivação e liderança organizacional, identificou quatro fatores que estão presentes nos objetivos definidos por grandes realizadores. Em seu livro “Metas que desafiam”, ele explica que quando estes elementos estão presentes nos níveis adequados, nosso poder de realização é muito maior.
Estes quatro elementos são:

  1. Sinceridade, ou conexão emocional (do inglês Heartfelt)
    Você precisa se importar de verdade com seus objetivos. Se eles forem “mornos” para você, você não terá a motivação necessária para realizá-los. Não basta ele ser importante, legal, ou atraente. O seu objetivo precisa representar uma conquista extremamente valiosa, e despertar em você o desejo de alcança-la mais do que qualquer outra coisa.
  2. Animação, ou clareza
    Objetivos poderosos são vívidos e claros. Você deve ser capaz de vivenciar na sua mente a realização do objetivo da maneira mais sensorial possível. Isso despertará ainda mais forte o desejo de realiza-lo.
  3. Necessidade (Required em inglês)
    Quanto mais necessário e imprescindível for seu objetivo, maiores as chances de ele ser realizado. Se você provar e convencer a si mesmo de que o objetivo não é uma opção, mas uma necessidade, você fará o que quer que seja necessário para seguir em frente.
  4. Difícil, ou desafiadora
    Pessoas que estabelecem metas desafiadoras sentem-se mais realizadas do que pessoas com metas menos importantes. O desafio aqui é encontrar o equilíbrio. Metas que desafiam são difíceis a ponto de te tirar da sua zona de conforto e de te dar um frio na barriga, mas não podem ser tão difíceis a ponto de você desistir antes de tentar.

Vamos exercitar? Pare agora e pense em um objetivo específico que você queira realizar. Ele deve ser relevante para você e te levar a algo maior, que você não possa realizar com poucas ações num curto período de tempo. Em seguida, reflita sobre os pontos abaixo para verificar se esse é um objetivo poderoso e motivador para você.

O Ulife disponibiliza o Teste de Objetivos HARD para você. Basta fazer o download do aquivo no link abaixo, responder as perguntas e visualizar o seu resultado no radar.

Baixar Teste de Objetivos HARD
Exemplo de resultados do teste de objetivos HARD

Aprimorando o seu objetivo

Se um ou mais dos atributos HARD do seu objetivo ficaram na zona de preocupação ou estão em alerta vermelho, dedique um tempo para aprimorar seu objetivo. Veja abaixo como fazer isso para cada item:

H – Sincero / conectado emocionalmente

“Se a meta for significativa o bastante, você irá executá-la.”

Mark Murphy

  • Verifique se você escolheu este objetivo por causa de expectativas de outras pessoas.
  • Busque algo que você queira fazer, e não algo que você acredita que precisa fazer. O exercício sobre construção do propósito de vida, no portal Ulife, pode te ajudar a identificar uma alternativa.
  • Identifique o que te faz “tropeçar” e o que te “empurra pra frente” em relação às suas metas. Os tropeços são os problemas que te desmotivam e drenam sua energia. Os empurrões são as coisas que te motivam, fazem você se sentir preenchido e com vontade de dar 100% de si. Para isso, pense em duas situações:
    1. Lembre-se de uma situação em que você quis desistir do que estava buscando. Qual tropeço fez com que você se sentisse esgotado naquele momento?
    2. Lembre-se de uma situação em que você se sentiu fantástico e extremamente motivado. Qual foi o empurrão por trás disso?
  • Conecte-se emocionalmente com as pessoas que se beneficiarão do seu objetivo. Por exemplo, se você quer trabalhar com inovação em tecnologia, ao invés de pensar em “um mundo conectado”, imagine uma pessoa que vive em um lugar que oferece poucas oportunidades podendo se conectar e se desenvolvendo através do estudo remoto.
    “Se eu olho para a massa, eu nunca vou agir. Quando olho para o indivíduo, eu ajo.” Madre Teresa
  • Identifique quais são as recompensas externas de atingir seu objetivo. Você alcançará maior rendimento, segurança financeira, um status social ou algum outro benefício? Dê visibilidade a elas!
  • Estabeleça marcos no caminho do seu objetivo. Pare nestes marcos e comemore seu progresso! Não basta pensar “olha, atingi o marco, que legal!”. Faça de fato algo para comemorar, mesmo que seja simples. Compre um chocolate que você adora, vá ao cinema com uma pessoa querida, faça uma pequena viagem, etc. Coloque naquela ação a intenção de comemorar o seu esforço e o que você já alcançou!

A – Animação / clareza

O ser humano responde melhor a estímulos visuais do que a palavras e pensamentos. Por isso, busque ser sensorial ao definir seu objetivo.

  • Pense, em termos concretos, em como seriam as coisas quando seu objetivo tiver sido atingido. Quando Martin Luther King fez seu famoso discurso, ele não disse “Eu vejo um futuro onde as relações de raça nos Estados Unidos melhorarão gradualmente a cada ano”. No lugar disso, ele tornou vívidas várias cenas que mostravam o que realmente ele queria dizer. Veja este discurso inspirador aqui.
  • Desenhe uma cena que represente o sua meta. Mesmo que você só desenhe bonecos de palito, você estará ativando outras áreas do seu cérebro e aprimorando a visualização.
  • Feche os olhos e tente imaginar vividamente cenas que representam o seu objetivo sendo atingido. Busque detalhes sensoriais desta cena, tais como:
    • Cores que você está vendo.
    • A maneira como está a iluminação neste ambiente.
    • As formas que compõe o ambiente.
    • As partes que compõe esta visão. Se você quer trabalhar em uma empresa específica, por exemplo, imagine o crachá da empresa com seu nome e foto, seu local de trabalho, sua agenda com compromissos da empresa, você participando de uma reunião, recebendo um elogio do seu líder, etc.
    • Identifique onde você estará e como você vai se sentir quando seu objetivo for realizado. Quem estará com você?
    • Quais são as emoções marcantes nesta cena?
    • O que você está fazendo enquanto realiza ou vive este sonho? Quais são as ações e atividades?
  • Registre a imagem que você teve no papel. Isso ajuda a ativar outras áreas do seu cérebro, facilitando a visualização.

R – Necessidade

Ter necessidade quer dizer criar um forte senso de urgência para o seu objetivo.

  • Identifique com a máxima clareza quais os benefícios que atingir o seu objetivo trarão para a sua vida. Quais serão as recompensas financeiras, os ganhos de conhecimento e competências, as consequências emocionais para você (maior autoconfiança, sentimento de capacidade, leveza, alegria), benefícios espirituais, diferença que você vai fazer para as pessoas ao seu redor, melhoria de relacionamentos, etc.
  • Faça um exercício para avaliar duas situações: (1) como seria sua vida se ela continuasse como é hoje, sem a busca pelo seu objetivo e (2) como seria sua vida vivendo com seu objetivo realizado. Liste no papel (não adianta ser uma lista mental) o que você ganha e o que você perde para cada um destes cenários. Os ganhos e perdas podem ser coisas materiais, emocionais, espirituais, relacionamentos, energia, etc. Não deixe de identificar os ganhos da situação atual e as perdas de atingir o seu objetivo. Tudo na vida tem os dois lados, e ter clareza deles vai te ajudar a ter uma visão mais realista.
  • Identifique os custos e esforços que você precisará realizar e reinterprete-os em como sendo investimentos e benefícios. Por exemplo, se você quer abrir uma cafeteria, ao invés de pensar que você vai ter que fazer um curso de barista, ter que pesquisar modelos de negócio de cafeterias e gastar dinheiro montando o espaço, você pode pensar que, ao perseguir seu sonho, vai se capacitar, investindo em uma formação de barista, ter a oportunidade de se desenvolver e aprender sobre construção de modelos de negócio e aprender técnicas de gestão financeira para alcançar uma reserva para aumentar seu patrimônio (adquirir o espaço para a cafeteria). Muito mais atraente, não?

D – Dificuldade

Responda com sinceridade: quais são as realizações na sua vida que mais te orgulham? Para a maioria das pessoas, a conquista mais realizadora foi difícil, exigiu muito esforço, forçou-as a aprender coisas novas e foi cheia de momentos de preocupação, sem a certeza de se o objetivo seria alcançado ou não.

“Pessoas que estabelecem metas que desafiam sentem-se até 75% mais realizadas e satisfeitas do que pessoas com metas menos importantes.”

Mark Murphy

É fácil acreditar que pessoas realizadoras necessariamente têm algo a mais: seja talento, inteligência, experiências, famílias equilibradas e um sistema de apoio melhor. Certamente estes fatores influenciam, mas estudos mostram que o mais determinante é que pessoas que alcançam resultados acima da média são mais motivadas, trabalham mais duro e são mais focadas do que a média das pessoas. Sem isso, mesmo pessoas inteligentes ou com muitas oportunidades podem falhar. Por outro lado, mesmo pessoas com menos condições ou menos oportunidades podem alcançar grandes coisas se conseguem desenvolver a autodisciplina e o trabalho duro.

  • Busque pela área do equilíbrio de dificuldade. Seu objetivo deve estar fora da sua zona de conforto, mas não pode ser tão difícil ao ponto de ser fisicamente impossível de ser realizado. Neste “caminho do meio”, ele dá um frio na barriga, e pode despertar uma dúvida sobre a sua capacidade de realizar, mas te paralisa.
  • Se o medo estiver te paralisando, pergunte-se: “qual a pior coisa que pode acontecer se eu não conseguir atingir meu objetivo?”. Anote as respostas. Na maioria das vezes, o máximo que pode acontecer é você se sentir envergonhado, ou ter trabalho para colocar as coisas de volta no lugar. Dificilmente alguma destas experiências já causou a morte de alguém. Em geral, as outras pessoas tendem a valorizar o esforço e a coragem de quem tentou alcançar algo maior, mesmo que não tenha conseguido. Muitas delas inclusive sentem que gostariam de ter a ousadia que quem tentou realizar seus sonhos teve.
  • Caso seu objetivo esteja em uma área nova para você, pode ser mais útil definir objetivos de aprendizagem do que objetivos de performance. Isso porque, como é um campo novo, você pode não ter clareza sobre qual meta seria desafiadora, mas realizável.
  • Defina um prazo desafiador para o seu objetivo, que não seja folgado nem impossível de ser realizado.