Como descobrir meus pontos fortes?

Como identificar nossos pontos fortes? Existem várias alternativas e, nesse artigo, apresentamos três caminhos para você conseguir identificá-los com mais clareza. O ideal é que você passe pelo menos um pouco por cada um dos três. No entanto, não se preocupe em explorar exaustivamente cada pergunta ou ação. Faça do seu sentimento a sua bússola. Quando sentir que expandiu sua autopercepção e que consegue ter uma imagem concreta e consistente das suas qualidades, siga adiante, pratique e viva para validar.

Mas atenção: ao falar em pontos fortes, é preciso cuidado para não colocar as expectativas nas alturas. Muitas pessoas acreditam não ter pontos fortes porque se comparam com pessoas famosas ou com aquelas que fazem coisas extraordinárias. No entanto, os talentos podem estar também nas coisas simples, como em saber ouvir com as pessoas com atenção, cozinhar bem, ser extrovertido e conseguir agregar pessoas ou ser introspectivo e fazer análises cuidadosas. Algumas dessas coisas são tão naturais para algumas pessoas que elas podem nem perceber que aquilo é uma característica especial que outros gostariam de ter.

1.      Autorreflexão

Em uma folha de papel, responda às seguintes perguntas:

  1. Lembre-se de momentos em que você se destacou ou foi bem-sucedido. Pergunte-se: quais as principais qualidades que você precisou ter nessa experiência?
  2. Quais são seus hobbies? Ou seja, o que você gosta de praticar ou de fazer por lazer?
  3. Qual parte do seu trabalho você mais gosta?
  4. Quais eram os seus interesses na infância? O que você fazia? Do que mais gostava? Pelo que era conhecido?
  5. Quais tipos de atividades você tem mais facilidade em aprender?
  6. Qual atividade você faz sem perceber o tempo passar e fica na expectativa de poder fazer novamente quando acaba?
  7. Pense nos momentos de pressão ou de desafio em que você se saiu bem. Por exemplo, quando aconteceu algum imprevisto ou problema que você teve que resolver ou que lidar imediatamente. Como você respondeu? O que foi quase instintivo na sua reação?
  8. Quais são os assuntos sobre os quais você poderia conversar por horas com alguém que tivesse o mesmo interesse?
  9. Para quais atividades as pessoas costumam pedir a sua ajuda, ou que você costuma oferecer a sua ajuda?
  10. O que você faz tão bem que as outras pessoas dizem que você deveria trabalhar com isso?

2.      Buscando ajuda

  1. Peça feedbacks: encontre pelo menos 3 pessoas que conheçam bem você e pergunte quais elas acreditam ser seus talentos. Buscar pessoas de áreas diferentes da sua vida pode ajudar a ter uma visão mais ampla (um familiar, um amigo e um colega de trabalho, por exemplo). Ouça atentamente e anote o que for mais relevante para você.
  2. Faça um teste confiável de perfil. Não vale ser um teste de revista ou um quiz de internet; esses testes são só para diversão. Testes confiáveis são validados e realizados por instituições sérias e podem ajudar você a ver coisas mais profundas em seu perfil. Algumas sugestões de bons testes:
    • Teste e livro “Descubra seus Pontos Fortes”, de Marcus Buckingham e Donald O. Clifton. Você receberá um código para fazer um teste online e descobrir seus pontos mais fortes.
    • Teste de perfil comportamental DISC. Você poderá entender qual seu perfil e quais pontos fortes e fracos estão relacionados a ele. Um coach ou psicoterapeuta poderá realizar o teste e ajudar você a interpretá-lo. Veja mais sobre a teoria DISC de perfis comportamentais aqui. Você pode fazer um quiz sobre o DISC aqui para ter uma ideia inicial do seu perfil.
    • O site da Via Character oferece um teste de forças gratuito e muito interessante. O teste dura cerca de meia hora. É necessário se cadastrar, mas não há custo.
  3. Realize um processo de autoconhecimento e desenvolvimento com um profissional capacitado. Um psicoterapeuta, um coach ou um mentor podem ser de grande ajuda para conhecer profundamente seus pontos fortes e aprender a lidar com seus pontos fracos. Essa é uma ação de médio a longo prazo, mas os resultados são poderosos e para a vida toda!

3.      Experimentando

A reflexão é importante, mas só a prática pode validar se você realmente se destaca em determinada atividade. De quebra, ao experimentar, você pode encontrar talentos que nem sabia que tinha! Veja abaixo algumas coisas que você pode fazer:

  1. Planeje momentos ao longo do ano para experimentar. Se puder, faça matérias de outros cursos, leia uma revista sobre um tema que você não conhece, ande de skate, veja documentários. Alguns dos nossos talentos nos atraem “desde sempre”, mas podemos ter outros que nem desconfiamos ter e, por isso, podemos acabar achando que não gostamos daquela atividade. Aqui, é como dizem as mães à mesa: “se você nunca experimentou, como pode dizer que não gosta?” É claro que não precisamos ficar experimentando tudo o tempo inteiro, mas se você está numa busca pelos seus talentos, é hora de se mexer! 😉
  2. Faça cursos, assista palestras e documentários sobre assuntos que despertam sua curiosidade. Você pode fazer isso presencialmente ou mesmo na internet.
    • Sites como o Coursera e o Udemy oferecem um universo de cursos diferentes.
    • Se você gosta de Tecnologia da Informação, dê uma olhada no Udacity.
    • Palestras de alto nível sobre praticamente qualquer assunto podem ser encontradas no TED Talks com pessoas que são referências mundiais em suas áreas de atuação.
    • Participe de grupos e comunidades de pessoas interessadas nesses temas. Além de comunidades do Facebook, você pode se conectar ao Meetup para ver quem está promovendo encontros na sua região sobre diferentes temas.
  3. Viaje, entre em contato com diferentes culturas e pessoas e inspire-se!
  4. Encare desafios que ponham suas habilidades à prova, e, assim, evidenciem seus talentos. Desafios trazem naturalmente desconfortos, mas trazem também aprendizados e realizações!
  5. Busque trabalho voluntário. Ajude um professor com um projeto, participe de uma iniciação científica ou explore um assunto em um projeto aplicado.
  6. Persista e pratique! Mesmo o desenvolvimento de um talento leva tempo e requer dedicação. Uma facilidade inicial pode indicar que há um talento em potencial, mas ele só se tornará um talento real com um tempo, dedicação e aprimoramento.